Mar de Dirac

Fazer Ciência

Monthly Archives: Julho 2011

Mecânica Quântica

Uma lecture de Sidney Coleman sobre Mecânica Quântica, sem tempo para disparates e baboseiras.

Quantum Mechanics in your face.

Mesmo que não se concorde com tudo o que o Coleman diz é um prazer presenciar a clareza com que ele introduz os conceitos e desenvolve as suas consequências lógicas.

Organizar os papers

Este é um problema que surge com o acumular do conhecimento.

Como organizar os papers por forma a encontrar o que se quer o mais depressa possível:

  1. Organizar em pastas que distinguem o assunto, e com o nome de ficheiro: jornal_volume_issue_ano_autor.pdf
  2. Imprimir e usar pastas físicas ou dossier.
  3. Reciclar! Downloadar, ler e deitar para o lixo, guardando o máximo de informação em memória para mais tarde recordar. (só aconselhado para quem não necessite de escrever muitos papers, ergo citar muitas referencias e cuja memória é fantástica ou fotográfica)
  4. Usar uma base de dados criada para o assunto. Opção que tipicamente ninguém nos proporciona e com que esbarramos na net, quando se torna incomportável ao ponto de termos vontade de criar uma base de dados nós próprios.
Eu aconselho a qualquer pessoa que se depare com esta questão a consultar a página:
Eu pessoalmente uso o Mendeley, uma vez que o qiqqa só me foi referido posteriormente a eu completar a minha base de dados e uma vez que este pode ser usado em qualquer plataforma.
Espero que isto seja útil para alguém, eu gostava que me tivessem dito desde o inicio.

Estatística Quântica

No seguimento de um post anterior em que falei um pouco sobre alguns assuntos de Física Estatística venho agora deixar alguns comentários iniciais sobre Estatística Quântica.

Não pretendo dar a ilusão que este post será a palavra final sobre este assunto, até porque me vou debruçar sobre ele no futuro, mas é um início e pode ser que este rascunho que escrevi sejam úteis a alguém. Para além disso aproveito e dou algum movimento ao blog.

Já há algum tempo que não olho para este texto, por isso espero que existam algumas gralhas, no entanto no futuro vou escrever uma série de posts cujo objectivo será fazer uma fundamentação de algumas teorias físicas (como fiz no post Fundamentos da Mecânica Clássica – post que será reescrito e aumentado) e nessa altura já escreverei algo de mais completo e definitivo sobre Física Estatística Quântica e Física Estatística Clássica.

Acho que por agora já chega de desculpas e explicações por isso deixo-vos com o texto.

— 1. Gás Perfeito Quântico —

Um gás perfeito é um gás cuja partículas constituintes interagem somente por meio de colisões. Um gás quântico é um gás cujas partículas constituintes obedecem ao formalismo da Mecânica Quântica. Quer isto dizer que os estados acessíveis ao gás não formam uma distribuição contínua mas sim discreta, que as partículas são indistinguíveis entre si e que os números de ocupação para cada estado não são arbitrários.

Uma vez que os estados são discretos é sempre possível fazer uma organização dos mesmos {\epsilon_1\leq \epsilon_2\leq \epsilon_3\leq\dots\epsilon_r\leq\dots} e os números de ocupação são {n_1\leq n_2\leq n_3\leq\dots n_r\leq\dots}

Ora estes números de ocupação não são arbitrários, como já atrás foi dito, e para o caso dos bosões podem tomar valores arbitrários mas para o caso dos fermiões só podem tomar os valores de {0} ou {1}. Quer isto dizer que enquanto para os bosões podemos ter um qualquer número de partículas no mesmo estado quântico para os fermiões podemos ter no máximo uma única partícula num dado estado quântico. Ler mais deste artigo

web of science

Oh deus de todo o valor,
senhor das referencias e citações:
Web of Science

Para quem quer fazer todo o tipo de estudo sobre as estatísticas dos papers publicados, por autor, assunto ou jornal este é o site divino mais bem feito que já encontrei. E desta forma achei que faria sentido partilhar, por vezes é dificil dar com estas coisas.

E para os mais curiosos que querem usar este site para ver quanto valem os professores mais reconhecidos da faculdade, não se esqueçam que muitas vezes existe mais do que uma pessoa com o mesmo nome, no mínimo há que limitar a área de investigação.
Depois é só pedir uma analise e rir ás gargalhadas com o número de papers exposto por ano no gráfico resultante.

Divirtam-se!

%d bloggers like this: